Tempo de Recomeçar

Tempo de Recomeçar
"Essa história vai emocionar você"

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

VIOLETRANDO I


Na rua deserta da cidade
Há uma menina
Caminhando em desventura mocidade
No corpo marcas de uma sina

A pequena vagueia pelas ruelas desertas,
Decotes rasgam-lhe o peito
Nos lábios, impetuoso batom vermelho,
Nos olhos, desespero.

A noite está escura no beco,
Um cheiro de barato perfume
Espraia-se pela escuridão
Um gesto, um aceno de mão,
Lá vai a pobre criança,
Cumprir sua maldita lição.

Rebola menina não,
Teus pés deveriam estar pulando amarelinha,
Dançando cirandinhas
Desenhando sonhos no chão,
Com velhos tijolos de construção

Qual é o teu nome?
Pobre menina,
Que vida é essa que te consome?
Quem são teus pais?
Que País é este?


Salve! Salve!
Que os céus abram guardas de salvação
Como pode anjos pequenos rendidos à perversão?
Salve! Salve-se quem puder
Maldito ditado!
Dizem as más línguas que o autor é o tal do diabo!

Enquanto isso do outro lado da cidade
Burgueses engravatados assistem à televisão,
No noticiário:
....Menina morta é encontrada no chão!



......(Cassiane Schmidt) .......

10 comentários:

Fernando Rozano disse...

a triste e dura realidade em sensível poema, que instiga a pensarmos mais profundamente sobre a responsabilidade que temos junto à sociedade. meu abraço.

~*Raíssa Sant'Anna*~ disse...

'Salve! Salve-se quem puder'
Um poema sobre a trsite realidade de muitas das nossas crianças.
Todos deveriam ler.
Parabéns por este poema.

Grande abraço

O Profeta disse...

Dramático...intenso...fantáticamente escrito...por uma sensivel e notável mulher...


Doce beijo

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia!

Primeira visita.

Poema com bastante intensidade.

beijooo.

Rocket disse...

belíssimo.
"Decotes rasgam-lhe o peito"

as marcas da beleza, fora do contexto, transformam -se em símbolos de ignomínia...


és amiga da silvinha, que está em portugal?

ela tem uma amiga com o teu nome... desculpa a curiosidade.

D.Antónia Ferreirinha disse...

Muito lindo.
Gostei bastante.
Obrigada pela visita ao meu blogue.
Beijinho.

AB disse...

Triste...muito triste mas infelizmente a realidade de muitas crianças.
Arrepiei-me com o texto, mas adorei o teu blog. Vou pedir-te permissão para passar por cá mais vezes.
Beijihno

Antunes Ferreira disse...

LISBOA - PORTUGAL

Olá!

Cheguei a este blogue através de outros que costumo visitar e neles postar comentários. Cheguei, vi e… gostei. Está bem feito, está comunicativo, está agradável, está bonito – e está bem escrito. Esta é uma deformação profissional de um jornalista e dizem que escritor a caminho dos 67…, mas que continua bem-disposto, alegre, piadista, gozão, e – vivo.

Só uma anotaçãozinha: Durante 16 anos trabalhei no Diário de Notícias, o mais importante de Portugal, onde cheguei a Chefe da Redacção – sem motivo justificativo… pelo menos que eu desse com isso… E acabo de publicar – vejam lá para o que me deu a «provecta» idade… - o me(a)u primeiro livro de ficção «Morte na Picada», contos da guerra colonial em Angola (1966/68) em que, bem contra vontade, infelizmente participei como oficial miliciano.

Muito prazer me darás se quiseres visitar o meu blogue e nele deixar comentários. E enviar-me colaboração. Basta um imeile / imilio (criações minhas e preciosas…) e já está. E se o quiseres divulgar a Amiga(o)s, ainda melhor. Tanto o blogue, como o imeile, tá? Muito obrigado

www.travessadoferreira.blogspot.com
ferreihenrique@gmail.com

Estou a implementar e desenvolver o projecto que tenho para o meu www.travessadoferreira.blogspot.com e que é conferir ao meu/vosso/NOSSO blogue a característica de PONTO DE ENCONTRO entre os Países fraternalmente ligados – Portugal e Brasil. E outros PALOP e etc…
Se me enviares o teu IMEILE, poderei enviar-te «coisas» que ache interessantes. Se, porém, não as quiseres, diz-me que eu paro logo. Sou muito bem-mandado (a minha mulher que o diga…) e muito obediente (cf. parênteses anterior). Abrações e queijinhos, convenientemente repartidos e distribuídos

– Desculpa por este comentário ser tão comprido e chato. Como a espada do D. Afonso Henriques…
- Já conheces o me(a)u «Morte na Picada» que acima menciono? Há quem diga que é muito bom. E até que é o melhor que se escreveu em Portugal sobre o tema. Dizem… Obviamente que não sou eu a dizê-lo… Só faltava… E também há quem tenha escrito que é SANGUE & SEXO… Malandrecos… Pelo sim, pelo não, compra-o.
Depois de o leres, se, por singular acaso, tiveres gostado dele, terás de comprar muitíssimos mais exemplares. São excelentes prendas de aniversários, casamentos, divórcios, baptizados, e datas como Natais, Carnavais, Anos Novos, Páscoas, Pentecostes, vinte e cincos de Abris, cincos de Outubro, dezes de Junhos. Até para funerais. Oferecer o «Morte» na morte fica bem em qualquer velório que se preze. E, além disso, recomenda-o, publicita-o, propagandeia-o, impinge-o aos Amigos, conhecidos, desconhecidos & outros, SARL. Os euros estão tão raros e... caros...
++++++++++++
A editora da obra é a Via Occidentalis (occidentalis@netcabo.pt) cujo site é www.via-occidentalis.blogs.sapo.pt. Neste blogue podem ser consultados mais dados sobre o livro, cujo preço de capa é € 14,70. ATENÇÃO: Pode ser comprado pela Internet.
++++++++++++
NOTA IMPORTANTE: Este texto de apreciação e informação é similar em todos os casos em que o utilizo. Digo isto, para quem não surjam dúvidas ou suspeitas sobre a repetição em diferentes blogues. E para que ninguém se sinta ludibriado – ou ofendido… Há feitios que… Mas, sublinho, apenas o uso quando o entendo, isto é, quando gosto mesmo dos que visito. Nos outros onde também vou, se não gosto, saio sem comentários. Há muitos mais. Aqui na terrinha diz-se que «se não gostas, põe na beirinha do prato…»

Císa disse...

Nossa, que poema forte!

Que Deus proteja "as meninas" desse seu poema...

E que os seres humanos se conscientizem e se responsabilizem para mudar a realidade...


Um beijo!


Tenha uma linda semana!


;)

caminha, caminhando, poetando... disse...

Cada vez melhor Cassiane. Parabéns pela sócio-poesia. Pela mensagem a este país de políticos sem lei, de uma sociedade conivente, que agoniza no ócio, na mordomia, na modorrice da corrupção.
Masmorra para eles todos.
Enquanto isto... Assistimos, pasmos, os valores de cidadania sendo vilipendiados.

Que Deus te abençoe,

Caminha